Construtora da Ponte de Guaratuba pede recuperação judicial; saiba se obra será afetada

Construção da Ponte de Guaratuba está na fase de instalação das pilastras de sustentação da estrutura – obra deve ser entregue em 2026. Foto: Gabriel Rosa / AEN

A empresa Odebrecht Engenharia e Construção (OEC), uma das integrantes do Consórcio Nova Ponte, responsável pela construção da Ponte de Guaratuba, no litoral do Paraná, entrou com um pedido de recuperação judicial. A empresa contabiliza dívidas bilionárias, mas garante que a operação segue sustentável e que o processo não vai afetar a rotina operacional dos contratos em curso, como o da nova ligação rodoviária entre Matinhos e Guaratuba.

O pedido, feito na semana passada, foi aceito pela Justiça de São Paulo e agora a construtora terá 60 dias para apresentar seu plano de recuperação aos credores. Em um comunicado oficial, o CFO da empresa, Lucas Cive, afirmou que negociações prévias com os principais credores permitirá um processo de recuperação mais rápido e controlado. “O foco central é reestruturar US$ 4,6 bilhões em passivos financeiros e operacionais, além de operações antigas dentro do mesmo grupo”, detalhou.

Para o presidente da OEC, Maurício Cruz, o pedido de recuperação judicial se mostrou a medida mais apropriada para a “adequação dos passivos e viabilização da captação de novos recursos”. Ele seguiu, afirmando em nota que “a iniciativa fortalece a OEC não apenas nos projetos em andamento e na conquista de novos, como também no atendimento a credores e fornecedores”.

Construtora garante que obras da Ponte de Guaratuba não serão afetadas pela recuperação judicial

Também em nota enviada à RPC, a direção da construtora apontou que o processo de recuperação judicial proposto à Justiça de São Paulo não vai ter impactos na obra da Ponte de Guaratuba. De acordo com a OEC, há garantias contratuais robustas que seguem vigentes, garantindo a sequência das obras.

“A obra seguirá seu curso previsto. Importante enfatizar que projetos executados em consórcio, a exemplo da Ponte de Guaratuba, estão fora do perímetro da reestruturação”, aponta a empresa.

“Não há preocupação sobre paralisação”, afirma secretário

Em entrevista à RPC, o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, disse que não há preocupação por parte do governo do Paraná sobre atrasos na entrega da ponte, prevista para 2026. Segundo ele, na assinatura do contrato o estado recebeu da construtora uma apólice de garantia no valor de R$ 120 milhões.

“Nós temos no consórcio a capacidade econômica e financeira garantida para cumprir com a obrigação da construção da ponte. Então não há preocupação sobre qualquer paralisação neste processo de construção”, afirmou.

Fonte:Construtora da Ponte de Guaratuba pede recuperação judicial; e a obra? (tribunapr.com.br)

Compartilhe!

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
API key not valid, or not yet activated. If you recently signed up for an account or created this key, please allow up to 30 minutes for key to activate.
plugins premium WordPress